segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

A Fase do Ódio

Fica o meu desabafo:

Estamos vivendo um período estranho.
Com mais de meio século de vida percebo que um clima ruim entre as pessoas vem crescendo cada vez mais. Parece uma massa negativa crescente. Uma bolha que irá explodir.

No trânsito as pessoas não dão  passagem para o carro que tenta ultrapassagem. Ao contrário, aceleram para impedir mesmo que o carro avance como se estivéssemos em uma competição automobilística. E se for uma emergência? Pouco importa?
Moto se sente ônibus.  Ônibus quer cortar por uma brecha curta como se fosse motocicleta. Até o pedestre perdeu a noção do perigo, da prudência, quando atravessa sem olhar o sinal ou invade a pista colocando sua pressa como emergência nacional.
A intolerância e sentimentos desgovernados crescem e parecem se tornar algo certo nos dias de hoje.
Em um ambiente de trabalho, para sobreviver, as pessoas criam alternativas nada justas para conseguir seus objetivos. Uma pessoa desenvolve uma solução e passa para outra produzir. Essa segunda pessoa faz como quer, erradamente, e se der problema culpa a pessoa que criou o desenvolvimento. Pouco importa as consequências, quando se é apadrinhado?
Pessoas se aproximam a nível pessoal, chamam de amigos, irmão até, e quando algo de seu interesse muda, sequer lhe dirigem a palavra, pois você não é mais importante. Como se pessoas fossem objetos, um livro pra se consultar e absorver conhecimento, em seguida voltam para a caixa esquecidas. Pessoas se tornando bipolares? Sem moral e caráter?
Na política foi pego aquele ou outro envolvido em corrupção, propina, lavagem de dinheiro, desvio de verba, uso de influência, compra de votos... Perceba que imediatamente é afastado sem ser condenado ou devolver o desvio aos cofres públicos, em alguns dos muitos casos, e anos depois retornam para algum lugar do cenário político como se não houvesse um passado sujo. Não vejo nenhum deles se preocupar em recuperar sua imagem manchada, em provar que são inocentes e até se forem... quem então seria o culpado (?), seja de uma calúnia ou difamação, seja  uma invenção dos meios de comunicação para garantir alguma notícia do jornal. Tem certeza que não é uma anarquia?
No mundo inteiro já vejo em alguns  países uma liderança mundial  com tendência para uma direita radical e conservadora - intolerante. Essa será a tendência de líderes, após a ditadura e o neo-liberalismo terem fracassado?

texto e arte: Marcos Costa.

Eu ouvi de uma pessoa, que ocupa um cargo de gestão, que trabalhadores são números.
Não pude responder na hora, pois estava sob ameaça de ser demitido, mas aqui eu digo: - Não! Não são números. São pessoas que sonham, desejam e lutam por suas famílias ou objetivos de vida. 
Eu vi acontecer, fiz parte do processo em todas as áreas que liderei direta ou indiretamente, onde pessoas trabalhando em união e parceria, me fizeram acreditar que é possível acertar.
Acredito que só a conscientização e esforço em todos os setores da sociedade possa reverter essa trilha de culto ao ódio, rancor, individualismo, que não vai nos trazer nada de bom.
Acreditem que ninguém que faz algo errado sai impune. Não existe uma ação ruim que não renda consequências ruins.
Ainda bem que existe uma lei que não foi e nunca será alterada: A Terceira Lei de Newton.

"A toda ação há sempre uma reação oposta e de igual intensidade."



2 comentários:

Prof. Adinalzir disse...

Excelente o seu texto. Expressa de forma clara a nossa triste realidade. Inclusive é uma leitura perfeita para usar em nossas reflexões.

Abraços ao amigo,

Marcos Costa disse...

Obrigado Professor Adnalzir. Esteja à vontade para utilizar o texto.
É uma honra tê-lo como seguidor do blog.